top of page

"Apagão de professores"


INSTRUÇÕES PARA A REDAÇÃO

1. O texto definitivo deve ser escrito à tinta preta, na folha própria, em até 30 linhas.

2. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para a contagem de linhas.

3. Receberá nota zero, em qualquer das situações expressas a seguir, a redação que:

3.1 tiver até 16 (dezesseis) linhas escritas, sendo considerada “texto insuficiente” (regra exclusiva da escola);

3.2 fugir ao tema ou não atender ao tipo dissertativo-argumentativo;

3.3 apresentar parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto;

3.4 apresentar nome, assinatura, rubrica ou outras formas de identificação no espaço destinado ao texto.

TEXTO I De tempos em tempos, o alerta ressurge: o Brasil está à beira do colapso quando o assunto é o número de docentes aptos a lecionar na educação básica. O medo do fenômeno batizado como apagão docente – a falta de profes­sores – estampou manchetes de jornal às vésperas do primeiro turno das eleições presidenciais do ano passado. Realizado pelo Instituto Semesp, órgão ligado às mantenedoras do ensino superior privado paulista, um novo estudo projeta o possível déficit de 235 mil professores no ano de 2040 caso nada seja feito para reverter o quadro atual. Esse número equivale a 20% dos atuais 2,2 milhões de docentes da educação básica brasileira. A queda projetada se deve a motivos diversos: diminuição da procura dos jovens pelos cursos de licenciatura; alto índice de desistência da profissão nos primeiros anos de carreira; iminente aposentadoria de muitos educadores em atividade e baixa atratividade da docência, fruto do pouco reconhecimento social e da remuneração insuficiente. Fenômenos estes que não comportam solução isolada, exigindo ações articuladas. https://revistaeducacao.com.br/2023/02/06/apagao-docente-jovens-se-afastam-da-profissao/


TEXTO II

De acordo com o CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), o Brasil poderá ficar sem professores de ensino médio na rede pública ainda nessa década. Os salários dos professores no Brasil, em qualquer etapa da educação básica, são muito mais baixos do que em outros países, inclusive Argentina, Chile e México, e não se pode enfrentar a atual carência docente sem um estímulo financeiro profissional que leve os jovens a buscar os cursos de licenciatura em nossas instituições. (...)O estudo destaca o baixo investimento em educação, o salário baixo, a violência nas escolas e a falta de perspectiva profissional. O risco do agravamento da falta de docentes é tão sério que o problema se tornou prioridade do governo federal. No entanto, as medidas emergenciais devem não só contemplar a formação inicial e continuada de professores, mas associá-las às ações e políticas de valorização do docente. https://educador.brasilescola.uol.com.br/trabalho-docente/o-apagao-na-educacao.htm


TEXTO III


A maioria dos jovens não está motivada para o magistério. Uma pesquisa da Fundação Victor Civita, de 2008, mostrava que apenas 2% dos jovens brasileiros queriam seguir o magistério. Quando analisamos os países que estão no topo da educação mundial, como Finlândia, Canadá e Singapura, os jovens têm um sentimento de prestígio relacionado à profissão de professor similar ao da medicina no Brasil. https://radardofuturo.com.br/brasil-tera-apagao-de-professores-ate-2025/ TEXTO IV






PROPOSTA DE REDAÇÃO


A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “caminhos para combater o “apagão de professores no Brasil ”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para a defesa de seu ponto de vista.








9 views0 comments

Recent Posts

See All

댓글


bottom of page