top of page

RACISMO NO FUTEBOL (Enem)



LEIA COM ATENÇÃO OS TEXTOS ABAIXO:


TEXTO 1

O racismo no esporte mais popular do mundo, porém, não se limita à Europa. No Brasil, a prática avança de maneira preocupante. Segundo levantamento do Observatório da Discriminação Racial do Futebol, foram registrados 90 casos de ofensas raciais em 2022, contra 64 em 2021. Um aumento de 40%.

Em janeiro deste ano, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Lei 14.532, que tipifica a injúria racial como crime de racismo, que já era considerado delito no país, pela Lei 7.716, de 1989. O Regulamento Geral de Competições da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para 2023 indica punição a casos de discriminação, que pode variar de uma advertência até a perda de pontos.

No país, um dos casos mais marcantes ocorreu em 2014, envolvendo o hoje ex-goleiro Aranha. À época no Santos, ele foi alvo de ofensas racistas de torcedores do Grêmio na partida de ida do confronto pelas oitavas de final da Copa do Brasil, na Arena do time gaúcho, em Porto Alegre. Os xingamentos, inicialmente, não constaram na súmula do árbitro Wilton Pereira Sampaio, sendo feito um adendo ao documento, enfim citando a ocorrência. https://agenciabrasil.ebc.com.br/esportes/noticia/2023-05/ofensas-vinicius-junior-fazem-parte-de-historico-de-racismo-no-futebol TEXTO 2

A triunfal conquista do Vasco da Gama em 1923 e o bicampeonato estadual no ano seguinte incomodaram os outros clubes cariocas, afinal, como poderia um time formado por jogadores negros, pobres e oriundos da periferia ter tanto sucesso dentro das quatro linhas?

Inicialmente tentaram excluir os jogadores que não pudessem assinar a súmula, em seguida, os clubes de elite se desligaram da Liga organizadora do campeonato e fundaram a Associação Metropolitana de Esportes Amadores (AMEA). Ao Vasco foi negado o acesso à referida associação, sob a falsa alegação do clube não ter um estádio próprio, porém, o real motivo da negativa veio à tona quando foi apresentada uma proposta indecorosa, na qual o Vasco da Gama seria admitido na AMEA desde que eliminasse do time 12 jogadores, mais explicitamente os negros, pardos, caixeiros e operários.

https://observatorioracialfutebol.com.br/textos/visao-juridica/o-racismo-no-futebol-e-a-omissao-das-autoridades/



TEXTO 3





TEXTO 4

Os Ministérios do Esporte, da Igualdade Racial e da Justiça e Segurança Pública no Brasil divulgaram um trabalho conjunto de criação de mecanismos e ações para o combate do racismo no esporte. O fato é que medidas estão previstas, tanto no Brasil como no mundo, e os casos não param de aparecer. Estudiosos entendem que punições mais assertivas e uma conscientização do racismo podem ajudar a resolver esse problema. Não vai ser em um dia, um mês ou um ano, destacam. O trabalho das organizações e da sociedade contra as discriminações raciais e de gênero vão levar tempo, mas é possível. Para isso, a respostas a esses casos precisa ser dura e sem brechas. A ver como o caso Vinicius Junior vai impactar o futebol a longo prazo. https://jovempan.com.br/esportes/futebol/racismo-no-futebol-brasileiro-numeros-aumentam-em-2022-e-casos-seguem-sem-punicoes-concretas.html


PROPOSTA DE REDAÇÃO


A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema a "o enfrentamento do preconceito racial no futebol brasileiro”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.



21 views0 comments

Recent Posts

See All

Comments


bottom of page